Como dirigir corretamente!

Direção Defensiva – Evite Acidentes

Direção defensiva é o ato de conduzir de modo a evitar acidentes apesar das ações incorretas (erradas) dos outros e das condições adversas (contrárias), que encontramos nas vias de trânsito.

Por que praticar a direção defensiva?

Pesquisas realizadas em todo o mundo, sobre acidentes de trânsito, apresentaram a seguinte estatística:

  • Apenas 6% dos acidentes de trânsito têm como causa os problemas da via;
  • 30% dos acidentes têm  origem em problemas mecânicos;
  • A maioria dos acidentes, (64%) tem como causa, problemas com o condutor.

Dentre os principais Problemas com o Condutor temos:

  • Dirigir sob o efeito de álcool ou substancias entorpecentes;
  • Imprudência-trafegar em velocidade inadequada;
  • Imperícia-inexperiência ou falta de conhecimento do local;
  • Negligencia- falta de atenção, falha de observação.

O Condutor defensivo é aquele que adota um procedimento preventivo no transito, sempre com cautela e civilidade. O motorista defensivo não dirige apenas, pois esta sempre pensando em segurança, pensando sempre em prevenir acidentes independentes dos fatos externos e das condições adversas que possam estar presentes.

O Condutor defensivo é aquele que tem uma postura pacífica, consciência pessoal e coletividade, tem humildade e autocrítica.

Dentro das diferentes técnicas de como conduzir defensivamente existem várias precauções que se deve tomar ao iniciar uma jornada, mesmo sem ter conhecimentos especializados de mecânica, para evitar envolver-se em situações de risco, realizando um trajeto sem cometer infrações de trânsito, sem abusos com o veículo, sem atrasos de horário, sem faltar com a cortesia devida, ou seja, sem envolver-se em acidentes.

Não esqueça:

  • “Acidente evitável” é aquele em que você deixou de fazer tudo o que razoavelmente poderia ter feito para evitá-lo.
  • A “Direção Defensiva” é indispensável no aperfeiçoamento de condutores. Trata-se de uma forma de praticar, no uso de seu veículo, uma maneira de dirigir mais segura, reduzindo a possibilidade de ser envolvido em acidentes de transito, apesar das condições adversas.
  • “Direção Defensiva” é o ato de conduzir de modo a evitar acidentes, apesar das ações incorretas (erradas) dos outros e das condições adversas (contrárias), que encontramos nas vias de trânsito.

Fonte: Informativo “O Segurado”  –  Setembro de 2012

LAR CORRETORA DE SEGUROS

Tel: (11) 3277-8203

E-mail: seguroslar@seguroslar.com.br

www.larcorretoradeseguros.com.br 

Categorias:Trânsito Seguro

Arrastão – Bares e Restaurantes

Uma forma de violência que tem provocado medo, em São Paulo, são os arrastões em bares e restaurantes.

Comerciantes e clientes tentam encontrar diversas maneiras para se proteger deste tipo de ataque, que costuma durar pouco menos de cinco minutos e que já aconteceu a aproximadamente sessenta estabelecimentos na capital.

Comerciantes têm instalado botões de pânico, alarmes, câmeras e contratado os serviços de segurança privada, para deter as quadrilhas.  Além disso, reivindicam um patrulhamento mais ostensivo, principalmente no período da noite em regiões como Vila Madalena e Moema que estão repletas de estabelecimentos desta categoria.

Até o momento, nenhum destes ataques terminou em tragédia, mas os estabelecimentos já sentem os efeitos de pânico que se espalha entre os clientes da noite paulistana. Segundo a Federação dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Estado de São Paulo (Fhoresp), a queda de movimento é de 20%. “Assaltos a estabelecimentos comerciais sempre existiram, isso é verdade”, explica Antônio Henriques Branco, vice-presidente da Fhoresp. “Mas essa sensação de estamos vivendo um surto de ataques é muito ruim para os negócios.”

Os clientes também têm adotado medidas de segurança, para não perder objetos de valor visado pelos ladrões, evitando levar consigo celulares ou relógios. Outros adotaram uma forma criativa, saindo de casa com o kit arrastão, composto por R$ 50,00, um cartão de crédito e o RG.

As seguradoras passaram a oferecer uma cobertura junto ao Seguro Empresarial para os estabelecimentos desta categoria, conhecida formalmente como subtração de bens e valores em furtos e roubos.

As apólices garantem os prejuízos causados não somente aos segurados, mas também a terceiros, ou seja, esta cobertura também garante automaticamente os bens dos clientes que estavam no estabelecimento comercial e a proteção por arrastão é oferecida em todo o Brasil!

Por: Aline Boffa

Fonte: Informativo “O Segurado”  –  Setembro de 2012

LAR CORRETORA DE SEGUROS

Tel: (11) 3277-8203

E-mail: seguroslar@seguroslar.com.br

www.larcorretoradeseguros.com.br 

Categorias:Seguros

Primeiro hospital público para bicho já ‘pede socorro’

A cachorra Lessie, que está com tumor no fígado, aguarda atendimento no primeiro hospital gratuito para animais.

Soterrado pelo excesso de demanda, o primeiro hospital veterinário totalmente gratuito de São Paulo, no Tatuapé, zona leste, já deixa casos graves sem tratamento adequado, segundo proprietários de animais que acorreram ao serviço.

Inaugurado há dois meses e uma semana, o hospital foi implantado pela Prefeitura de São Paulo, a partir de convênio com a Anclivepa-SP (Associação Nacional de Clínicos Veterinários de Pequenos Animais). Por mês, a prefeitura repassa R$ 600 mil para o hospital.

Luciana Aparecida Albino, 34, reclama: “Marcaram para esta quinta-feira a cirurgia para a extração do tumor de meu cachorro. Mas o médico não foi. Tão jovem o serviço, e já está parecendo o SUS”.

Ainda único hospital veterinário público de São Paulo (segundo o vereador Roberto Tripoli, do PV, a ideia é criar um em cada região da cidade), o do Tatuapé avisa logo na entrada: “Serviço gratuito, destinado prioritariamente a animais de abrigos e à população de baixa renda cadastrada em programas como o Bolsa Família”.

Para serem atendidos, 30 novos animais por dia, fora os casos de emergência, os acompanhantes humanos deles têm de ser aprovados no teste de pobreza, conduzido por assistente social.

O que seria uma forma de restringir a demanda -quem pode pagar que se dirija a veterinários privados- dá origem a um desfile dantesco de dores caninas e felinas.

“Já esperávamos que a procura fosse grande. Mas ninguém poderia imaginar que se materializaria aqui uma tamanha concentração de sofrimento”, disse à Folha o veterinário Renato Tartalia, 48, diretor do hospital.

“É que, se os donos são pobres, os animais são pobres ao quadrado”, teoriza a balconista Daniela Pedras, 32, dona de seis cães e três gatos.

Em vez de ração, são animais que comem restos de comida humana e sofrem, por isso, de dor de dente e gengivite, como humanos. Sem tratamento, os tumores já chegam supurados (ou quase). E os cachorros morrem de cinomose, apesar de haver vacina eficaz. Mas custa R$ 50, e os donos não têm.

Calcula-se que São Paulo abrigue algo como 4 milhões de cães e gatos, para uma população humana de 11,5 milhões de habitantes.

Não se sabe, porém, qual percentual desses animais vive “abaixo da linha de pobreza” ou em situação de risco.

Agora, pela primeira vez, com o hospital, aquilo que era um problema da vida privada ganha visibilidade.

“O que estamos vendo é uma catástrofe, que afeta tanto a vida de animais, quanto a de seus donos, que sofrem por eles”, diz o doutor Tartalia. “É preciso investir mais.”

Por mês, a meta é realizar 180 cirurgias e mil consultas. “Este hospital é o primeiro. Seria injusto, agora que ele existe para cuidar dos animais, responsabilizá-lo por todas as dores do mundo”, defende a protetora Solange dos Anjos Moura Leite, 56.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1150617-primeiro-hospital-publico-para-bicho-ja-pede-socorro.shtml

LAR CORRETORA DE SEGUROS

Tel: (11) 3277-8203

E-mail: seguroslar@seguroslar.com.br

www.seguroslar.com.br

 

Categorias:Bem-estar

Como ler em tablets e celulares sem prejudicar a coluna

Tablets e celulares estão mudando a maneira como as pessoas leem, com consequências para o corpo.

O celular é a pior opção, em termos de postura. Especialistas ouvidos pela reportagem recomendam que a leitura na telinha do telefone não ultrapasse 20 minutos.

“Ao ler no celular, projetamos a cabeça excessivamente para frente, o que acaba gerando uma hipolordose cervical, que é a retificação da curvatura do pescoço”, explica o quiropraxista Luiz Miyajima, da QuiroVida.

Com o tempo, a hipolordose desgasta o disco intervertebral, amortecedor que fica entre cada vértebra da coluna, o que pode gerar uma hérnia de disco.

Entre livros e tablets há uma ligeira preferência pelos primeiros.

“Livros são mais anatômicos, porque incentivam a leitura com as duas mãos apoiadas nas laterais do volume, diferentemente do tablet, que tende a ser segurado com uma mão só na parte de baixo”, explica Victor Liggieri, fisioterapeuta e autor de “De Olho na Postura” (Summus, 128 págs., R$ 39).

Tablets leves e de tela fosca –como o “Kindle” convencional– são melhores para a postura, porque evitam o cansaço dos braços e da vista.

As grandes vantagens dos leitores digitais em relação aos livros físicos são o peso menor e a possibilidade de escolher o tamanho da letra (não força a visão e evita que o aparelho fique perto demais do rosto).

A postura ideal para uma leitura longa é aquela clássica: a pessoa sentada diante de uma mesa com o livro ou o tablet apoiado em um suporte que deixe o texto na altura dos olhos.

“Eu sei que nem sempre contamos com toda essa infraestrutura e muitos precisam fazer leituras apressadas no ônibus, mas esse é o jeito certo de ler por muito mais tempo e evitar dores”, afirma Daniel Jorge, ortopedista e membro da Sociedade Brasileira de Coluna.

PRODUTIVIDADE

Suportes para livro também podem ser usados com o tablet. Uma unidade custa cerca de R$ 20 em livrarias virtuais. Esse acessório permite que o material fique alinhado aos olhos sem que a pessoa canse os braços.

Há dois anos, o advogado Renan Alvez, 28, presta concursos públicos regularmente. Ele diz que o “copy holder” aumentou sua produtividade na leitura.

“Chego a ler por oito horas diárias. Nunca tive uma boa postura e, antes, começava a sentir dores já na segunda hora. Hoje, só me lembro que tenho coluna por volta da sexta hora de leitura”, afirma o advogado.

 

LAR CORRETORA DE SEGUROS

Tel: (11) 3277-8203

E-mail: seguroslar@seguroslar.com.br

www.seguroslar.com.br

Categorias:Bem-estar

Tabela FIPE

Disponibilizamos em nosso blog, a tabela FIPE, que está publicada no site QUATRO RODAS.

A tabela de preços do site QUATRO RODAS é um serviço oferecido em parceria com a FIPE, Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, entidade de direito privado, sem fins lucrativos, criada em 1973 para apoiar o Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo.

São disponibilizados os valores de automóveis, motocicletas e caminhões, zero-quilômetro e usados a partir de 1985. Os valores apresentados são atualizados mensalmente. É considerado um modelo zero-quilômetro o veículo que será adquirido diretamente nas concessionárias. O valor exibido para o ano corrente reflete a sua desvalorização após a retirada da loja.

Para consultar, selecione a opção abaixo:

Fonte:http://quatrorodas.abril.com.br/tabela-fipe/

LAR CORRETORA DE SEGUROS

Tel: (11) 3277-8203

E-mail: seguroslar@seguroslar.com.br

www.seguroslar.com.br

Mulher – Aprenda como aliviar a pressão e se tornar mais produtiva

Permanecer sentada em frente ao computador durante todo o expediente definitivamente não é algo positivo. Muitas pesquisas sugerem que o hábito torna o profissional menos produtivo. Levantar e caminhar pode aumentar o seu poder de concentração e, ainda, preservar sua saúde. Confira abaixo oito maneiras de aliviar a pressão e melhorar seu serviço, listadas pelo site da revista Forbes:

1. Dê uma volta no quarteirão

O ar fresco combinado com uma mudança de cenário pode aumentar a produtividade.

2. Tire uma soneca

Algumas empresas oferecem esse privilégio. Um cochilo de 15 minutos já é o suficiente.

 

3. Converse com um colega

Mesmo se você só jogar conversa fora, isso já ajuda a aliviar a cabeça e conseguir cumprir suas tarefas.

 

4. Cumpra suas tarefas

Assim como dar uma volta no quarteirão, sair do escritório para resolver pendências, como ir ao banco ou ao supermercado, ajuda a aliviar a pressão.

 

5. Escove seus dentes

O simbolismo da remoção de cáries e placa pode ser especialmente potente quando está se sentindo lenta.

 

6. Gaste 10 minutos em redes sociais da internet

Isso não é tão bom quanto levantar da mesa, mas uma pequena distração mental pode ser útil. Cuidado para não se esquecer dos afazeres enquanto navega pelo Facebook, Twitter.

 

7. Vá à academia

Se sua empresa tem uma academia conveniada, aproveite.

 

8. Saia para almoçar

É importante sair para almoçar. Uma dieta balanceada e saboreada com calma faz toda a diferença.

 

Fonte:http://mulher.terra.com.br/carreira/aprenda-como-aliviar-a-pressao-e-se-tornar-mais-produtiva,dc05722b50018310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html

LAR CORRETORA DE SEGUROS

Tel: (11) 3277-8203

E-mail: seguroslar@seguroslar.com.br

www.seguroslar.com.br

Categorias:Bem-estar

Decisão do STJ – Plano Coletivo de Saúde

STJ garante a aposentado o direito de continuar como beneficiário em plano coletivo de saúde.

A Quarta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) garantiu a um aposentado e seus dependentes o direito de continuar como beneficiários de plano de saúde coletivo operado pela Intermédici Serviços Médicos, isentos de carência, nas mesmas condições de cobertura assistencial e de preço per capita do contrato. O aposentado deverá assumir o pagamento integral da contribuição.

Segundo o relator do processo, ministro Raul Araújo, a jurisprudência do STJ vem assegurando que sejam mantidas as mesmas condições anteriores do contrato de plano de saúde ao aposentado (Lei 9.656/98, artigo 31) e ao empregado desligado por rescisão ou exoneração do contrato de trabalho (Lei 9.656/98, artigo 30).

“Assim, ao aposentado e a seus dependentes deve ser assegurada a manutenção no plano de saúde coletivo, nas mesmas condições que gozavam quando da vigência do contrato de trabalho, desde que o aposentado assuma o pagamento integral da contribuição”, afirmou o ministro.

No caso, o aposentado ajuizou a ação para que fosse mantido, juntamente com sua esposa e filha, como beneficiário de plano de saúde coletivo mantido pela Intermédici, na modalidade standard, isentos de prazo de carência, nas mesmas condições de que gozavam quando da vigência do contrato de trabalho por tempo indeterminado, comprometendo-se, ainda, a assumir o pagamento integral das mensalidades.

A operadora do plano, por sua vez, sustentava que, a partir de maio de 1999, a manutenção do aposentado e seus beneficiários no plano de saúde somente seria possível na modalidade individual, de maior custo mensal, e não mais na coletiva.

A decisão da Quarta Turma foi unânime.

Fonte: http://www.stj.jus.br

LAR CORRETORA DE SEGUROS

Tel: (11) 3277-8203

E-mail: seguroslar@seguroslar.com.br

www.seguroslar.com.br

Categorias:Seguros